Logo USP

facebook

english

español

Projeto Santuário - conscientização e ações educativas para comunidades com pouco acesso à atendimento médico-veterinário

IMG 9326

Ao fundo a clínica móvel disponibilizada pela ONG parceira do Projeto. À frente, voluntários em ação   Foto: Acervo/P.Santuário

 

Publicado em 9/10/2017

Projeto da Veterinária da USP atua na conscientização da população quanto aos cuidados com os animais domésticos para a manutenção da saúde humana.

Criado em 2009, sob a coordenação da professora Paula de Carvalho Papa, do Departamento de Cirurgia (VCI), o Projeto Santuário da Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia (FMVZ), tem como objetivo informar e educar comunidades sobre guarda responsável de animais utilizando o conceito de Medicina Veterinária do coletivo, disseminado pela Organização Mundial da Saúde no início do século XXI, em que os cuidados com a saúde dos animais domésticos são necessários para manutenção da saúde da família. “Nosso objetivo é imprimir uma marca de como cuidar da saúde dos animais, respeitando o bem-estar deles e contribuindo para o que chamamos de ‘saúde única’. Envolve animais e tutores no ambiente que eles convivem, em uma relação de interdependência dos dois e o meio ambiente”, explica Paula.  

O Projeto reúne voluntários como alunos, médicos-residentes do Hospital Veterinário (Hovet) e professores que desenvolvem atividades educativas, como palestras educativas, teatro para crianças, estandes para tirar dúvidas dos proprietários de pets   e mutirão com   alunos e professores da FMVZ para avaliação dos animais e realização das cirurgias de castração. No final de 2016, parceria entre o Programa Saúde Única, envolvendo diagnóstico epidemiológico e clínico e o Instituto de Meio Ambiente e Proteção Animal (MAAPA), organização não governamental (ONG), proporcionou a ampliação da atuação do Santuário. Com uma van adaptada como clínica veterinária, disponibilizada pela ONG, o bairro do Capão Redondo, na Zona Oeste de São Paulo foi escolhido para receber os atendimentos que estão realizados no CEU Feitiço da Vila. “Escolhemos esse bairro nos baseando em estudos prévios da Faculdade que mostra quais os locais de São Paulo que têm menos acesso a atendimento médico-veterinário”, explica Paula.

O Santuário atualmente conta com um grupo aproximado de 25 pessoas, incluindo uma aluna de teatro da Escola de Comunicações e Artes (ECA-USP) que auxilia o grupo no aperfeiçoamento das práticas teatrais elaboradas por eles. Os estudantes e médicos-residentes envolvidos se reúnem mensalmente para alinhar as futuras ações. “Orientamos para que as pessoas atendidas repassem os conhecimentos para conhecidos e familiares, seja por uma conversa ou corrigindo quando perceberem que algo estiver errado, com o objetivo de melhorar a qualidade de vida dos bichinhos”, explica Beatriz Borges, aluna voluntária.

Para a voluntária Fernanda Barbosa, o Santuário é o local ideal para aprender a abordar os proprietários. “Acho importante para a nossa formação ver o quanto somos capazes de ajudar os outros. Isso nos dá força para continuar e construir nossos sonhos. É importante ver que uma conversa já é capaz de alterar a percepção de mundo dos outros e também ajudar na construção de uma melhor relação tutor-animal”, defende.

“Não vamos conseguir dar conta de atender todo o estado, nem mesmo uma cidade, mas esperamos que essa ideia sirva de inspiração para que outras pessoas  façam algo parecido”, conclui Paula.