Logo USP

facebook

english

español

Projeto paisagístico da FMVZ quer trazer de volta a fauna nativa da região da USP

 IMG 2688 800 X 600

Mudas de ipê de várias cores, plantadas por funcionários da Prefeitura de São Paulo na lateral do Hovet

 

No mês de maio, na região próxima ao Hospital Veterinário foram plantadas 25 mudas de ipê nas cores branco, amarelo e roxo. O plantio faz parte do Projeto Paisagístico da Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia (FMVZ) da USP, iniciado este ano e solicitado pelo diretor José Antonio Visintin. O objetivo é introduzir novas espécies floríferas e frutíferas para trazer de volta a fauna nativa da região de São Paulo em que a Faculdade está situada. A iniciativa conta com a consultoria da engenheira agrônoma, especializada em licenciamento ambiental e em projetos de compensação arbórea, Cecília de Angelis, e envolve a Secretaria do Verde e do Meio Ambiente da prefeitura de São Paulo, que forneceu as mudas e disponibilizou a equipe que as plantou.

Segundo Cecília, a espécie foi escolhida para harmonizar e dar continuidade ao plantio feito pelas turmas de Medicina Veterinária. “O projeto prevê também a manutenção das novas árvores. O acompanhamento do crescimento, altura, poda e direcionamento, adubação, limpeza do entorno e proteção do ataque de insetos são necessários para que a árvore cresça saudável e de forma adequada”, explicou a paisagista.

DSC 7425 min

Ipê florido próximo ao Ambulatório de Aves - Foto: Ernani Coimbra

Até o final do ano, Cecília espera concluir o projeto que vai sugerir o espaço adequado para novos plantios, considerando a expansão da infraestrutura futura da Faculdade. Segundo ela, o paisagismo atual inclui algumas árvores, cujo plantio foi feito sem planejamento. "É preciso retirar as unidades que se encontram muito próximas das edificações, causando danos às mesmas. Também é necessário manejar tecnicamente as que, por estarem velhas, são mais suscetíveis a pragas como brocas e cupins. Elas, assim como outras com raízes frágeis, podem cair e causar danos e acidentes, por causa do aumento da intensidade dos ventos," enfatizou.

Foi o caso das árvores retiradas para a ampliação da entrada do Hospital Veterinário. Cecília explica que foi necessária a retirada de Ficus elástica e árvores exóticas, cujas raízes podem destruir calçadas ou edificações. “Mas, como prevê a legislação, toda árvore retirada deve ser substituída no mínimo por outra adequada. O projeto paisagístico da Faculdade prevê o plantio de um pouco mais que isso. O plantio dessas mudas de ipê é só o início,” concluiu.