Logo USP

facebook

english

español

FMVZ-USP tem dois representantes em Comitê Internacional de avaliação de segurança em produtos de origem animal

 REUTERS ALESSANDRO

 Foto: Reuters/Alessandro

 

  

Agora o Brasil tem três representantes, sendo um da Unicamp 

 

A Professora Silvana Gorniak, do Departamento de Patologia (VPT) da FMVZ-USP, desde novembro de 2016, é membro do Joint Expert Committe on Food Addictives (JECFA), comitê científico composto por especialistas (a maioria químicos e farmacêuticos) de diversos países, administrado conjuntamente pela Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura (FAO) e Organização Mundial da Saúde (OMS). Silvana foi escolhida após criteriosa seleção do JECFA, entre representantes de 187 países membros do Codex Alimentarius.

 

Formado em 1956, o JECFA realiza avaliações de risco de aditivos e contaminantes, toxinas naturalmente presentes em alimentos e resíduos de medicamentos de uso veterinário, para orientar as políticas e as decisões das duas organizações e de seus países-membros. O grupo desenvolve também princípios para a avaliação da segurança de agentes químicos, considerando as novidades nas diversas áreas envolvidas, como toxicologia, microbiologia, biotecnologia e química dos alimentos.

 

O primeiro e único membro brasileiro do JECFA, até o ano passado, era o professor João Palermo Neto, também do VPT, eleito em 2000. Em 2015, o Comitê escolheu uma representante da Unicamp e este ano, a professora Silvana completa o grupo de três membros brasileiros, em que os professores da FMVZ são os únicos veterinários. 

Segundo Silvana, "a participação dos brasileiros,  significa que há o reconhecimento pela FAO/OMS  de expertises em nosso país neste assunto tão complexo e que se refere à avaliação de risco destas substâncias, ou seja, há a confiança destes órgãos de que podemos orientar o codex alimentarius no consumo seguro de alimento. Além disso, significa a possibilidade de avaliar medicamentos que têm grande relevância no Brasil, mas que em outros países nem tanto".